Como diversificar seus investimentos para ter uma carteira sólida em 2021?

6 minutos para ler

Fazer investimento em 2021 exige mais do que avaliar as condições de mercado e tentar driblar a crise. Também é preciso pensar em fatores que ajudem a ter proteção e também mais rentabilidade. Nesse caso, a diversificação de carteira se destaca.

Trata-se de uma estratégia que busca variar a exposição ao risco por parte dos seus recursos. Com isso, é possível atingir seus objetivos com maior proteção.

Para saber como fazer os melhores investimento em 2021 e diversificar seu portfólio, confira os 4 passos essenciais!

O que é uma carteira diversificada?

Um portfólio diversificado nada mais é que um conjunto de investimentos com comportamentos distintos em uma condição de mercado. Ou seja, enquanto um investimento sofre uma queda, o outro pode passar por uma valorização no mesmo cenário.

Não se trata de apenas investir em alternativas variadas, de modo aleatório. Para evitar a pulverização ou falsa diversificação, é preciso conhecer o comportamento dos investimentos e como se relacionam. Assim, é possível compor uma carteira com risco equilibrado.

Por que diversificar o seu portfólio?

A diversificação de investimentos é essencial para diluir os riscos dos aportes da carteira. No jargão do mercado, fala-se sobre não deixar todos os ovos na mesma cesta. Com essa estratégia, é exatamente isso que acontece.

Como seu dinheiro está alocado em ativos e modalidades distintos e com comportamentos variados, há menos chances de você sofrer grandes perdas. Afinal, o mau desempenho de um investimento pode ser compensado pela valorização de outro.

Dependendo das suas decisões, também há como melhorar a rentabilização da carteira. Ao diversificar investimentos, você pode fazer escolhas que aproveitam as melhores condições do mercado.

Ao pensar nos investimentos em 2021, essas vantagens são especialmente importantes. Como o mercado financeiro foi abalado pela crise de 2020, buscar por oportunidades com maiores chances de retorno e diluição de risco a partir da diversificação e descorrelação dos investimentos (como você verá a seguir) faz a diferença.

Como diversificar os investimentos em 2021 em 4 passos?

Agora que você já sabe que é importante diversificar seus investimentos, o próximo passo é aprender como fazer isso. Ou seja, além de penas saber onde investir em 2021, você precisa entender como montar uma carteira que ofereça exposição a riscos diferentes.

Na hora de construir o seu portfólio, você pode usar as 4 dicas a seguir. Confira quais são!

1. Avalie as oportunidades do mercado

Para começar a diversificar é preciso estar ciente de quais são as oportunidades disponíveis. Então, vale entender os produtos financeiros que podem ser escolhidos, entre renda fixa e renda variável. Por exemplo, os Fundos de Investimento.

Eles funcionam como condomínios financeiros, em que cada investidor adquire cotas e passa a ter o direito de participar dos resultados do fundo. Em relação às estratégias, há modalidades distintas disponíveis.

Fundos de Ações são aqueles que aportam a maior parte dos recursos nesses ativos, enquanto Fundos Imobiliários investem no mercado de imóveis. Quando o objetivo é diversificar, os Fundos Multimercados se destacam.

Eles apresentam abordagem mista e alocam recursos em diversas possibilidades da renda fixa e/ou da renda variável. De acordo com a estratégia definida e apresentada aos investidores. Com isso, há como encontrar Fundos Multimercados que priorizam Ações, moedas, juros etc.

Além de tudo, há os chamados Fundos Quant. Eles são, normalmente, Fundos Multimercados ou de Ações em que a gestão é feita por meio da tecnologia, com base em algoritmos. Então, a tomada de decisão utiliza estratégias testadas e comprovadas, em busca de resultados ainda melhores.

2. Entenda a correlação dos investimentos

Como você viu, não é suficiente escolher investimentos diferentes quando o objetivo é diversificar. Então, antes de fazer um investimento em 2021, é essencial avaliar o comportamento de um ativo em relação a outras possibilidades.

Na prática, significa conhecer a correlação dos investimentos. Uma correlação positiva se dá quando as alternativas se comportam da mesma maneira ou de forma parecida.

É o caso de um Certificado de Depósito Bancário (CDB) pós-fixado e do Tesouro Selic. Apesar de serem distintos, sofrem perdas quando a taxa de juros cai e se valorizam com a sua ampliação. Portanto, estão correlacionados.

Já uma correlação negativa indica que os investimentos fazem movimentos opostos. É o caso do mesmo Tesouro Selic e das Ações. Quando a taxa de juros cai, o título público perde rentabilidade. No entanto, a bolsa costuma se valorizar — e as Ações sobem.

Também é possível citar a bolsa de valores e o Ouro. Em momentos de instabilidade ou incerteza, a bolsa pode sofrer quedas. Ao mesmo tempo, há uma procura maior pelo Ouro, que é considerado mais seguro, o que leva a uma valorização.

Como você pode ver, uma diversificação adequada acontece ao escolher investimentos que tenham correlação negativa. Nesse sentido, os Fundos Quant são interessantes, pois tendem a apresentar comportamento diferente aos demais fundos.

3. Conheça o seu perfil e os seus objetivos

Para diversificar sua carteira de investimentos em 2021 também é necessário conhecer as suas características. O perfil de investidor aponta a sua tolerância ao risco e indica se você é mais conservador, moderado ou arrojado.

Já os objetivos de curto, médio e longo prazo ajudam a definir a necessidade de liquidez e as expectativas de resgate do dinheiro. Ambos são pontos essenciais para a tomada de decisão e devem ser muito bem avaliados.

Afinal, sem isso, todas as carteiras diversificadas seriam iguais, certo? Portanto, a reflexão sobre as suas preferências ajuda a definir qual é o perfil de risco adequado para a sua carteira e quais são os melhores investimentos.

4. Faça uma escolha personalizada

Após conhecer as alternativas do mercado, o seu perfil de investidor e os seus objetivos é hora de fazer escolhas alinhadas às suas necessidades. Se você tiver um perfil mais conservador e/ou objetivos de curto prazo, faz sentido alocar uma proporção maior em investimentos seguros e com boa liquidez.

Por outro lado, se quiser rentabilizar e/ou ter ganhos no longo prazo, pode ser interessante correr um pouco mais de riscos. As escolhas devem ser balanceadas com investimentos descorrelacionados, o que ajuda a concluir a diversificação com sucesso.

A diversificação da carteira de investimentos em 2021 se mostra especialmente importante. Com a adoção dessa estratégia, você terá a chance de equilibrar melhor os resultados e até potencializar o desempenho da sua carteira!

Quer aprender a diversificar e proteger o seu patrimônio? Acesse o curso sobre como construir uma carteira anti-crise e comece a sua jornada de proteção aos seus investimentos!

Até a próxima!

Posts relacionados

Deixe um comentário