Fundos de Investimento: o que são, como funcionam e as principais vantagens!

7 minutos para ler

O que são fundos de investimento? Como negociar ações na Bovespa? Qual é a melhor forma de obter maior rentabilidade nas aplicações? Essas são apenas algumas das perguntas que são feitas por investidores iniciantes que pensam em conquistar uma rentabilidade maior que a renda fixa.

Porém, antes de decidir o que fazer com o seu capital disponível, é fundamental saber como esse tipo de investimento funciona, qual é o potencial de retorno e quais são os riscos envolvidos.

Para ajudá-lo nessa missão, desenvolvemos este conteúdo para esclarecer as suas principais dúvidas sobre como funcionam os fundos de investimento. Queremos possibilitar uma maior confiabilidade no momento de investir, por isso continue lendo e saiba mais!

O que são fundos de investimento?

O mercado de investimentos funciona em um modelo de trocas no qual o investidor disponibiliza recursos financeiros e, em troca, é remunerado periodicamente. Existem opções de renda fixa, cuja taxa de remuneração e o prazo são informados no momento da aplicação. Investimentos no Tesouro Direto e os CDBs são exemplos dessa categoria.

Além disso, existem as opções de renda variável nas quais não é possível antecipar qual será o retorno obtido devido às oscilações do mercado. Essa característica aumenta tanto o risco quanto a liquidez obtida pelo investidor.

Os fundos de investimento se enquadram no segundo grupo e são compostos por uma reunião de recursos de diversas fontes para aplicação.

Os elementos que compõem um fundo de investimento

Antes de comprometer o seu capital, é fundamental compreender como funcionam os fundos de investimento. Confira os principais elementos:

  • o administrador: geralmente trata-se de uma instituição financeira que constitui o fundo determinando o seu objetivo, as categorias de ativos em que pretende investir e as taxas que cobrará pelo serviço;
  • o tipo de condomínio: os que são abertos permitem o resgate de cotas a qualquer momento, enquanto os de natureza fechada somente permitem o resgate após o prazo determinado pelo fundo;
  • os distribuidores: são as instituições financeiras, os bancos e as corretoras, que disponibilizam o fundo em suas plataformas para aquisição por parte dos investidores. O regulamento e a lâmina de informações essenciais também podem ser consultados;
  • a carteira de investimento: é formada pelos ativos nos quais o patrimônio está distribuído, desde que respeitados os limites do fundo;
  • a cota: a soma do capital investido que passa a constituir o patrimônio do fundo é dividida em cotas. Como exemplos, podemos imaginar um fundo cujo patrimônio total é de R$ 500 mil, dividido em 10 mil cotas com valor de R$ 50 cada;
  • o gestor: é o profissional especializado que decide onde o capital será aplicado de acordo com a política estabelecida com base em avaliações de risco e potencial de retorno.

Quais são os principais fundos de investimento?

Existem diversas categorias de fundos que têm rentabilidades e fatores de risco bastante distintos. Por isso, é importante conhecer bem cada fundo de investimento e como cada um funciona.

infográfico sobre tipos de fundos de investimentoFundos de renda fixa

De acordo com determinação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), esse tipo de fundo deve ter, no mínimo, 80% da sua carteira aplicada em fundos dessa categoria. Devido à sua segurança, esse tipo de aplicação é ideal para investidores de perfil iniciante ou conservador.

Fundos de ações

Nessa categoria, a CVM regulamentou que a sua composição deve conter, no mínimo, 67% de seu patrimônio destinado ao investimento em ações listadas na bolsa de valores ou em outros fundos de ações.

Fundos cambiais

Quem deseja ingressar nesse tipo de aplicação pode optar por direcionar os recursos para uma carteira que atue com a variação de preços de moedas estrangeiras. No mercado atual, as mais comuns são o dólar e o euro. Há também a opção de acompanhar a variação do cupom cambial, que é obtida subtraindo a variação da taxa de câmbio da variação da taxa DI.

Fundos multimercado

Os fundos de investimento multimercado o garante mais autonomia ao gestor, pois não estipula percentuais mínimos quanto à alocação de recursos. Sob o ponto de vista do investidor, é fundamental avaliar a política de investimento na qual devem constar a concentração em renda fixa e variável e os riscos identificados.

Fundos imobiliários

Os fundos imobiliários, que também conhecidos como FIIs, são fundos que lidam com ativos imobiliários, ou seja, o investidor está comprando frações de imóveis, como shoppings e condomínios empresariais, e viabilizando a sua construção.

Chamada para Aprender a investir em Fundos de InvestimentoQuais são as vantagens e desvantagens de fundos de investimento?

Quando o assunto está relacionado a finanças, o conhecimento de cada tipo de investimento é essencial para tomar decisões acertadas. Por isso, é importante conhecer como funcionam os fundos de investimento para determinar quais são os os benefícios e os fatores que constituem risco em excesso.

Vantagens

Um dos principais conselhos de especialistas em finanças é a diversificação dos investimentos para minimizar o risco de perdas. Isso é justamente o que a modalidade de fundos de investimento oferece.

Como vimos, é possível realizar aplicações em:

  • renda fixa;
  • mercado cambial;
  • mercado de ações; e
  • ativos financeiros no exterior.

Além disso, como o capital do grupo é acumulado, o gestor tem condições de alocar recursos em investimentos de alto valor que não estão disponíveis para indivíduos.

Por fim, o apoio de profissionais especializados exercendo o papel de gestor ajuda a analisar as variáveis de cada ativo para selecionar a opção mais rentável. Esse é um fator importante para quem está dando os primeiros passos no mundo dos investimentos.

Desvantagens

A escolha de estratégias a serem adotadas e as decisões relacionadas ao fundo são tomadas pelo gestor. Esse é um fator que limita a autonomia do investidor que deseja ter um papel mais ativo.

Há também a incidência da taxa de administração cobrada pelo administrador do fundo pela prestação de seus serviços. Já a taxa de performance é uma bonificação paga ao gestor caso o fundo ultrapasse um patamar previamente estipulado.

Para os dois casos, não há limite quanto ao percentual que pode ser cobrado, portanto, é recomendado comparar as opções disponíveis para selecionar o investimento mais competitivo. Afinal, ambas podem reduzir significativamente o lucro obtido.

Como em todas as categorias de aplicação, há riscos que afetam a liquidez que o investidor espera obter. Os fundos mais rentáveis tendem a cobrar um valor de aplicação inicial elevado, o que os torna menos acessíveis. Além disso, não há cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que acoberta as transações do Tesouro Direto, por exemplo.

Ao final de todo o conteúdo que você leu até aqui e com o seu aprendizado sobre o que são fundos de investimento, a principal lição que deve ser aprendida é que não há um único modelo que se aplica a todos os perfis. Por isso, dedique um tempo para pesquisar e encontrar a opção mais compatível com o seu perfil de investidor e os seus planos e objetivos.

Quer aprender ainda mais sobre Fundos de Investimento?
Baixe agora nosso Guia completo sobre Fundos de Investimento e descubra tudo o que você precisa saber para começar a investir!

Até a próxima!

banner do guia tudo sobre fundos de investimento

Posts relacionados

Deixe um comentário