Você conhece Markowitz e a Teoria Moderna de Portfólios?

6 minutos para ler

Você já ouviu falar em Harry Markowitz? Ele é um economista que desenvolveu a Teoria Moderna de Portfólios e ganhou um Prêmio Nobel de Economia em 1990, e diversos investidores em todo mundo utilizam sua estratégia.

Mesmo quem ainda não conhece Markowitz provavelmente já teve contato com as ideias dele. Qualquer investidor que entenda a importância da diversificação da carteira e o velho ditado “não coloque todos os ovos em uma mesma cesta” está alinhado com sua teoria.

Então, veja o que é a Teoria Moderna de Portfólios e aprenda como aperfeiçoar seus investimentos!

Quem é Harry Markowitz?

Harry Markowitz é um dos grandes economistas da história. Ele é considerado o pai das finanças modernas, por ter sido um dos primeiros profissionais de Economia a pesquisar e aplicar a estatística em investimentos.

O princípio matemático criado por Markowitz comprovou a importância de diversificar e rebalancear investimentos. Através de cálculos e gráficos, ele demonstrou como a diversificação pode ser usada para diminuir os riscos e aumentar os resultados de uma carteira.

Assim, a Teoria Moderna de Portfólios é uma explicação matemática para uma das frases célebres dos investidores: não colocar todos os ovos na mesma cesta. Ou seja, não limitar os aportes a apenas um ou poucos ativos.

A teoria de Markowitz não se limitou a dizer que é importante ter escolhas diversas na carteira. Ele propôs um modelo estatístico que visa calcular o tamanho ideal de uma carteira. Em outras palavras, calcula quantos ativos representam a melhor diversificação para ter resultados.

O que é a Teoria Moderna de Portfólios?

Quando se fala sobre diversificação de investimentos é muito importante ter em mente o perigo da falsa diversificação. Ela representa carteiras que, sim, incluem vários investimentos, mas o grande problema é que eles são correlacionados. Logo, os efeitos gerais são muito parecidos.

Por exemplo, alguém que investe apenas em ativos da renda fixa ou uma pessoa que tenha ações de vários bancos. Em ambos os casos, há exposição a riscos e resultados próximos, já que os ativos estão em um mesmo grupo ou setor.

Por isso, a verdadeira diversificação não considera apenas ter muitos investimentos, mas analisar a correlação entre eles. Se a correlação for alta, significa que os efeitos em um ativo tendem a se repetir nos outros.

Por outro lado, se a correlação for baixa significa que os ativos se movimentam em direções diferentes. Por exemplo, quando a taxa de juros da renda fixa cai, a bolsa de valores costuma apresentar alta.

Assim, ter investimentos dos dois grupos seria uma forma de equilibrar a carteira. A Teoria Moderna de Portfólios utiliza cálculos complexos para avaliar o risco e o retorno de diversos investimentos em um portfólio.

De forma resumida, Markowitz considera três fatores principais: os retornos esperados em cada ativo, o risco e a correlação. A análise conjunta deles é útil para entender quais seriam as melhores escolhas ao investir.

Como a teoria influencia os investimentos?

Depois de ver quem é Harry Markowitz e o que ele diz em sua Teoria Moderna de Portfólios, conheça a seguir quais são os principais detalhes na relação desta teoria com os investimentos.

Cálculo de riscos

Um dos objetivos da teoria de Markowitz é permitir a otimização dos retornos esperados com um controle eficiente dos riscos dos investimentos. A estratégia se resume em, basicamente, aumentar a quantidade de estratégias dentro de uma carteira para aproveitar várias formas de rentabilidade e para reduzir os riscos.

Mas, infelizmente, não é possível zerar o risco com a diversificação. Os modelos matemáticos dessa teoria mostram que existe um ponto de equilíbrio em que a diversificação não dá mais resultados tão significativos.

Isso acontece porque existem dois tipos de risco: o diversificável e o não diversificável. Em uma carteira que já é otimizada, sobram os riscos sistêmicos, ou seja, eles não são reduzidos com novas estratégias. Esses eventos são conhecidos, popularmente, como “Black Swans”.

Fronteira eficiente

O conceito de fronteira eficiente é central na teoria construída por Markowitz. Ela é vista em um gráfico em formato de curva que indica as combinações entre risco e retorno dos investimentos. Dessa forma, a carteira é analisada como um conjunto.

Ou seja, a avaliação não acontece em cada ativo específico, mas na correlação entre eles. As carteiras que consideram o conceito de fronteira eficiente buscam construir um conjunto favorável de investimentos que apresentem retornos e riscos próprios ao serem reunidos.

Carteira de investimentos

Como você viu, um dos princípios da Teoria Moderna de Portfólios é analisar a carteira como um todo. Na verdade, há um passo a passo com três fases: a análise dos ativos individualmente, depois a análise das combinações possíveis e, por fim, a seleção da carteira.

Um exemplo clássico é a carteira de investimentos do tipo 60-40. Investidores que têm essa prática procuram manter 60% do portfólio na renda variável e 40% na renda fixa. Assim, a combinação dos ativos promove um conjunto com riscos e retornos particulares.

As características do conjunto não serão as mesmas de nenhum ativo individualmente. Então, os investidores podem combinar sua carteira com os percentuais e os investimentos que acreditam serem mais adequados para seu perfil.

Como usar a teoria no seu portfólio?

Saber diversificar suas escolhas pode ser bastante útil para ter uma carteira mais sólida e equilibrada — inclusive, em períodos de crise econômica.

Um dos primeiros aspectos necessários para aplicar os conhecimentos de Markowitz na sua vida é conhecer seu perfil de investidor e seus objetivos. Afinal, a carteira de investimentos deve ser única para cada pessoa.

A partir disso, você precisa identificar quais são as alternativas disponíveis no mercado financeiro para o seu perfil. Ao analisar cada uma, observe os riscos delas e também os retornos esperados. Depois, procure por opções descorrelacionadas.

Evite a falsa diversificação, ou seja, a prática de pulverizar seu patrimônio em investimentos variados, mas semelhantes. Procure montar uma carteira sólida com ativos que se comportem em direções diferentes.

E aí, você acha que a Teoria Moderna de Portfólios pode te ajudar?

Então aproveite para fazer o nosso mini-curso de diversificação e aprenda a construir uma carteira anti-crise!

Até a próxima!

diversificar investimentos

Posts relacionados

Deixe um comentário