Volatilidade do mercado: como funciona e como lidar?

3 minutos para ler

A volatilidade do mercado é a pulga atrás da orelha de muitos investidores e um fator comum em investimentos de renda variável. Ao se deparar com o assunto, algumas pessoas se perguntam: “como lidar com essa característica nos meus investimentos?”.

Para ajudar a responder essa pergunta, decidimos explicar o que é volatilidade, quando de fato ela se torna uma coisa preocupante e quais mudanças são significativas no mercado. Quer nos acompanhar neste post?

O que é a volatilidade do mercado?

O investimento volátil é aquele que muda com uma certa frequência. Nesse caso, as mudanças se relacionam ao preço da cotação, à rentabilidade ou ao risco da empresa que emitiu o investimento falir.

No entanto, não pense que volatilidade é uma coisa só. Existem diferentes níveis — muitas vezes, acompanhando as possibilidades de rendimento e a variação do ativo. Uma volatilidade alta, por exemplo, indica uma chance de variação maior nos preços.

Mas não se engane: é perfeitamente possível adotar investimentos com baixa volatilidade e ter rendimentos compatíveis com as suas expectativas. Ainda assim, o mercado de renda imprevisível tende a apresentar as opções com chances de retorno mais altas.

Quando se preocupar?

A volatilidade é importante por representar uma forma de calcular os riscos de um investimento. Isso é feito por meio da análise do histórico do ativo, fazendo uma estimativa do retorno.

Tenha em mente que o estudo não livra o investidor do risco, apenas estimula a consciência sobre sua existência. A volatilidade só se torna um problema quando a relação entre risco e rentabilidade é ruim. Mas como determinar isso?

A resposta varia de acordo com a formas que o investidor entende o mercado. O que você vai precisar saber é que existe a possibilidade de combinar o retorno da volatilidade alta com a estabilidade de investimentos menos arriscados. Para isso, basta apostar na diversificação da carteira.

Quais mudanças são significativas no mercado?

O estudo da volatilidade pode ter muitos usos, principalmente na hora de comprar e vender os ativos na bolsa de valores. No mercado acionário, as mudanças mais importantes estão relacionadas às altas e baixas dos ativos interessantes para você.

As mudanças das taxas de câmbio também merecem ser estudadas, representando a chamada volatilidade cambial. A variação do dólar e do euro, por exemplo, entram nessa conta.

A volatilidade de alguns investimentos de renda fixa também existe — embora seja baixíssima. Aqui, entram mudanças na Taxa Selic, no CDI e no IPCA, já que muitas aplicações são indexadas com base nesses indicadores.

Entender como funciona a volatilidade do mercado é uma das formas de se proteger de riscos incompatíveis com o seu perfil de investimento. Uma vez que o conhecimento passa a variação histórica, implícita e real.

Lembre que nem todas as notícias podem gerar impacto na qualidade dos investimentos. Por isso, você vai precisar filtrá-las. Informe-se sobre taxações, volatilidade do mercado, avaliações de desempenho e índices, assim evita tomar decisões por impulso.

Quer aprender mais sobre investimentos? Assine nossa newsletter!

Até a próxima!

pandhora news

Posts relacionados

Deixe um comentário